Palavras que carinhosamente se reproduzem na alma e
depois repousam, sossegadas na minha mente.
Sobre etéreas pétalas de flores adormecem perfumadas ...
amadurecem e vestem-se de cores divertidas.
E pela minha mão nascem... só para ti.

quinta-feira, 24 de janeiro de 2008

Esculpir um amigo



Uma noite destas sonhei que um amigo meu me tinha desiludido violentamente. Senti-me frustrada, triste e traída. Mas acima de tudo, senti-me culpada.
Depois de alguns anos a cultivar essa amizade, cheguei à conclusão que ainda não era perfeita. Nem eu, nem a amizade.

É como se dentro daquela pessoa que eu nem conhecia de repente eu tivesse começado a retirar pedaços dela para vir a encontrar no seu interior a forma de um amigo. É como esculpir um ser à nossa medida. Enquanto não se retira o excesso, não se consegue encontrar o que de melhor está naquele miolo.

E eu senti que aquele amigo não tinha sido bem esculpido ainda. Precisava de muito mais trabalho. Não é meu hábito desistir das pessoas. Posso desistir de algumas coisas. Nunca das pessoas.

É só ir esculpindo um pouco mais, ir mais fundo que acabarei por encontrar o amigo perfeito.

Não esqueço, é óbvio, as formas rudes que tinha antes de começar a trabalhar nele. Isso faz parte da construção da nossa amizade. Mas isso tem o seu lugar, bem arrumadinho numa gaveta da biblioteca da minha memória.

Quando finalmente terminar, o resultado será uma pessoa que deixou de ser apenas de si próprio. Será também um pouco minha. Tal como "O desterrado" é de Soares dos Reis, aquela pessoa passou a ser também minha. Os laços que nos ligam serão sólidos e para sempre indestrutíveis.

Não há maior perfeição do que essa. Não é necessária mais perfeição. Um amigo esculpido por ti, com o teu suor e a tua dedicação, por vezes com tanto sacrifício, cedências e frustrações, será a tua obra-prima. Aquilo que aqui mais se assemelha a um anjo: o teu melhor amigo.

Sejamos escultores. Sem pressas. Pacientes. Perfeitos na nossa limitação e felizes apesar de tudo.

Afinal "cativar" é apenas o início...

3 comentários:

Anónimo disse...

Não paras de me surpreender!
Beijinho Paula

Sublime Serenidade disse...

Pois é, expor a alma ao mundo pode ter esse efeito, não é? Mas é um pouco intimidante. É como gatinhar antes de andar ou correr.

"Mas os que esperam no Senhor renovarão as forças, subirão com asas como águias; correrão, e não se cansarão; caminharão, e não se fatigarão." Isaías 40:31

Espero que encontres a tua força e subas como águia, superando a fatiga. Estou sempre por perto, já sabes.

beijo
Bi

Rev. Lynwood F. Mundy disse...

May the Lord continue to bless our friendship across the ocean with His grace and mercy! - LFM