Palavras que carinhosamente se reproduzem na alma e
depois repousam, sossegadas na minha mente.
Sobre etéreas pétalas de flores adormecem perfumadas ...
amadurecem e vestem-se de cores divertidas.
E pela minha mão nascem... só para ti.

quarta-feira, 6 de fevereiro de 2008

"até quando serão eles incapazes da inocência?"


Faz-me medo. Faz-me muito medo. Pensar o ser humano comum é perfeitamente incapaz da inocência. É assim desde há séculos e séculos... Incapazes da inocência.


A pureza que nasceu consigo. A bondade, o coração aberto ao mundo. Tudo se trancou. Soterrou-se debaixo de toda a maldade, todo o ódio, toda a inveja. E nunca mais emergiu.



Bem aventurados aqueles que, remando contra a maré, vasculham o seu interior, incessantemente, dia a dia, tentando manter viva essa inocência. Difícil tarefa.

Para onde se dirige este mundo ? Volta-se para a sua própria hipocrisia. Chafurda no seu próprio vómito. Dá-se em casamento à sua própria imbecilidade.


"até quando serão eles incapazes da inocência?"


Até quando?

1 comentários:

Rev. Lynwood F. Mundy disse...

This make one think about the world and its peoples and where they are headed.